Topics quentes fechar

Vaiado, Fluminense empata com Atlético-GO e soma apenas um ponto de seis desde a volta da torcida

De seis pontos possíveis desde que a torcida do Fluminense pôde retornar ao Maracanã, apenas um foi conquistado. A discussão da semana foram sobre as vaias...

De seis pontos possíveis desde que a torcida do Fluminense pôde retornar ao Maracanã, apenas um foi conquistado. A discussão da semana foram sobre as vaias ouvidas na derrota diante do Fortaleza, na quarta-feira passada, e novamente escutadas neste sábado no empate em 0 a 0 com o Atlético-GO. Justas ou não, é um diagnóstico da má fase vivida pela equipe.

Fred pediu para o torcedor, se necessário, só vaiar no apito final. Não foi atendido. Afinal, é difícil pedir para o torcedor se controlar quando após ver o Atlético-GO ir para o intervalo tendo mais finalizações totais (4 a 1), em direção ao gol (2 a 0), escanteios (4 a 2) e chances claras criadas (2 a 0). Até mesmo na única estatística vencida pelo Fluminense, a posse de bola (54% x 46%), só irritou quem estava no Maracanã devido a falta de objetividade e intensidade.

Na derrota para o Fortaleza, a justificativa pouco convincente porém plausível foi de que o Leão do Pici é bem treinado e postulava à Libertadores. Argumento que não pode ser usado para explicar o tropeço diante de um Atlético-GO, que luta contra o rebaixamento e demitiu o técnico Eduardo Barroca recentemente — estava comandado por um interino no Maracanã.

O principal alvo das arquibancadas foi Danilo Barcelos. Estatisticamente, o lateral-esquerdo é o líder de assistências da equipe, mas a birra do torcedor não é de agora. Passa por uma contratação pouco aprovada e vai até ao seu estafe, envolvido na saída de Evanilson e que até hoje não foi engolido. Em resumo: Danilo foi pego de bode expiatório para descontar toda a frustração recente.

— Temos que aumentar a intensidade, ter mais velocidade. Crítica da torcida é normal e temos que responder dentro de campo — afirmou Yago Felipe, um dos poucos que realmente entendeu a situação atual.

A torcida só cessou as vaias quando finalmente começou a ser ouvida. As entradas de Jhon Arias e John Kennedy, que há tempos estão pedindo passagem no Fluminense, trouxeram apoio e os melhores minutos do Fluminense já na segunda etapa. Mas não conseguiu abrir o placar.

Por outro lado, o desespero em conseguir a vitória deixou espaços atrás. Janderson marcou, mas estava em posição irregular.

No fim, o empate sem gols trouxe mais vaias. Você pode não concordar com elas, mas não dá para dizer que o torcedor não tem motivos para protestar.

Facebook-Extra
Shotes semelhantes