Topics quentes fechar

Band diz que frase do presidente da Caixa que provocou rompimento de Datena com Bolsonaro é “leviana e irresponsável”

“Eu nunca mais quero entrevistar o presidente da República”, disse Datena ao ouvir Pedro Guimarães, presidente da Caixa, reclamar com Bolsonaro que "a Band queria dinheiro"

Em nota lida no Jornal da Noite nesta sexta-feira (23), a Band classificou a frase em que Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, diz que a emissora de TV “está me pedindo dinheiro”, divulgada no vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, é “leviana e irresponsável”.

“No vídeo da reunião ministerial, liberado pelo STF, aparece o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, dizendo que a Band “está me pedindo dinheiro”. Essa frase soa leviana e irresponsável e tem que ser explicada por esse senhor. A Band se orgulha de operar com lisura na sua área comercial e não admite que qualquer de seus funcionários saia da linha técnica e rigorosa . Repudiamos a insinuação caluniosa que essa frase contém”, diz a nota, lida pelo apresentador, Eduardo Oinegue.

Na fatídica reunião, Pedro Guimarães reclama com Jair Bolsonaro, dizendo que está com “problema de narrativa”. “Hoje de manhã, por exemplo, o pessoal da Band queria dinheiro. O ponto é o seguinte: vai ou não vai dar dinheiro pra Bandeirantes? Ah, não vai dar dinheiro pra Bandeirantes? Passei meia hora levando porrada, mas repliquei”.

A frase provocou o rompimento do apresentador José Luiz Datena com Bolsonaro, que anunciou ao vivo em seu programa, Brasil Urgente, que não vai mais entrevistar o presidente.

“Eu nunca mais quero entrevistar o presidente da República”, afirmou ele, que tem trânsito livre com Bolsonaro. “Depois dessa fita, eu me permito deixar a Band escolher outros repórteres e apresentadores entrevistarem o presidente da República”.

Pedro GuimarãesEm nota, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que se encontrava “sob forte emoção” e que “em nenhum momento pretendi desabonar pessoas ou instituições, muito menos sugerir a prática de qualquer conduta irregular ou ilícita”.

Leia a nota na íntegra

Nota à Sociedade Brasileira

Venho me manifestar sobre o conteúdo de palavras proferidas durante a reunião ministerial do dia 22 de abril, tornadas públicas nesta data.

Durante a reunião, me encontrava sob forte emoção. Todos sabem o momento que estamos atravessando na CAIXA, em especial para cumprir a hercúlea tarefa de levar o auxílio emergencial há mais de 50 milhões de brasileiros.

Em nenhum momento pretendi desabonar pessoas ou instituições, muito menos sugerir a prática de qualquer conduta irregular ou ilícita.

Da mesma forma, quis prestigiar a entrega inigualável de milhares de empregados da CAIXA, que se encontram na linha de frente, nas agências, atendendo pessoal e diariamente milhões de brasileiros necessitados. Minhas idas pessoais a diversas agências me compeliram a compartilhar a experiência com os presentes na reunião.

Pedro GuimarãesPresidente da Caixa Econômica Federal”.

Shotes semelhantes